top of page
jacek-dylag-PMxT0XtQ--A-unsplash.jpg
  • Foto do escritorJoão Paulo Koltermann

Dicas para lidar com o Transtorno do Pânico: sintomas e tratamento

Atualizado: 8 de jun. de 2023

Principais dicas para lidar com o Transtorno do Pânico, sintomas e tratamento


Para lidar com o Transtorno do Pânico, é essencial buscar ajuda profissional, como terapia e medicamentos prescritos por médicos. Conhecer os sintomas da síndrome do pânico e aprender a controlá-los é fundamental. Além disso, tomar medicamentos conforme orientação médica, evitar atividades desencadeadoras de pânico e praticar técnicas de relaxamento, como meditação, podem ser úteis. Manter a calma, cultivar pensamentos positivos e buscar apoio de outras pessoas também são importantes para lidar com o transtorno. Com essas estratégias, é possível controlar os sintomas e melhorar a qualidade de vida. Lembrando sempre que é fundamental buscar ajuda profissional, pois existem tratamentos disponíveis e o apoio adequado pode fazer a diferença no enfrentamento do Transtorno do Pânico.


Introdução

A Síndrome do Pânico é um transtorno mental grave caracterizado por ataques de pânico recorrentes, o que pode ser bastante incapacitante. Ataque de pânico é um dos tipos de ansiedade que envolve episódios repentinos de medo intenso que atingem o pico em minutos e incluem pelo menos quatro dos seguintes sintomas: coração acelerado, sudorese, tremores, sensação de falta de ar, sensação de engasgo, dor no peito, náusea, tontura e medo de perder o controle e enlouquecer ou morrer. Pessoas com transtorno do pânico geralmente tem medo de uma nova crise e evitam situações em que elas possam ocorrer (Barnhill, 2020).



Pessoa caminhando na beira da rua.
Pessoa caminhando.

Quais são os sintomas da síndrome do pânico?

A síndrome do pânico é um transtorno mental no qual as pessoas experimentam crises de ansiedade e ataques de pânico recorrentes. Sendo caracterizados por medo ou mal-estar e ansiedade intensos que podem levar a sintomas físicos e emocionais, como dor no peito, falta de ar ou palpitações cardíacas. Ataques de pânico também podem fazer com que as pessoas sintam que estão tendo um ataque cardíaco ou perdendo o controle. Os sintomas geralmente começam na idade adulta, mas podem ocorrer em qualquer idade. De acordo com o Manual DSM, de 30% a 50% das pessoas com agorafobia, que é um medo de espaços abertos, também têm transtorno de pânico (Barnhill, 2020). Sendo assim, a agorafobia é uma das principais comorbidades do transtorno do pânico.

Pessoas com síndrome do pânico podem experienciar sintomas como escassez de ar, palpitações cardíacas, tontura, sentimentos de irrealidade e medo de morrer. Esses sintomas geralmente levam essas pessoas a evitarem lugares ou situações em que possam se sentir presas ou desconfortáveis mesmo sem um motivo aparente. O transtorno de pânico é uma condição muito incapacitante e pode envolver outros transtornos, como ansiedades e a depressão (Associação Americana de Psiquiatria [APA], 2014).

Se você tem Transtorno do Pânico, isso significa que às vezes você se sente realmente assustado sem motivo aparente. Você pode sentir que não consegue respirar ou como se seu coração estivesse batendo rápido demais. Esse sentimento pode ser tão assustador que faz você querer fugir ou se esconder.

O que é agorafobia?

A agorafobia é uma condição caracterizada por um medo irracional de espaços abertos ou públicos (Barnhill, 2020). Pessoas com agorafobia podem evitar sair de casa, viajar ou usar o transporte público. A agorafobia pode ser muito debilitante, pois as pessoas podem ficar cada vez mais presas à casa à medida que sua condição piora. Eles também podem ter dificuldade em funcionar em situações sociais. A agorafobia pode reduzir significativamente a qualidade de vida. O tratamento geralmente inclui uma combinação de terapia e medicação.

Por exemplo, quando alguém tem medo de sair de casa porque pode ter um ataque de pânico do lado de fora, essa pessoa pode ter agorafobia. A sensação pode ser como quando você está com medo de ir por um beco escuro porque pode haver um ladrão escondido lá.

Como curar a síndrome do pânico?

O transtorno do pânico é um distúrbio mental que faz com que as pessoas experimentem medo ou ansiedade intensos em resposta a um evento imprevisível, como experimentar um ataque de pânico. Pessoas com transtorno do pânico geralmente sentem que não conseguem respirar, estão prestes a desmaiar ou ter um enfarte.

A melhor maneira de curar o transtorno do pânico será diferente de pessoa para pessoa. Não existe uma cura única para o transtorno do pânico, no entanto, existem vários tratamentos disponíveis que podem ajudar a reduzir a frequência e a intensidade dos ataques de pânico. Os tratamentos geralmente envolvem aconselhamento e medicação. Algumas pessoas encontram alívio usando terapias de saúde mental, como psicanálise, psicoterapia e técnicas de relaxamento. Outros podem precisar usar medicamentos ansiolíticos.

Não há vergonha em procurar ajuda para o transtorno do pânico. As opções de tratamento estão disponíveis e o prognóstico é bom se você procurar ajuda desde o início.

Aqui estão cinco dicas para lidar com a síndrome do pânico:


1. Procure ajuda profissional para lidar com a crise de pânico

Se você estiver enfrentando ataques de pânico ou ansiedade extrema, é importante obter ajuda profissional. Isso pode incluir procurar terapia, aconselhamento ou usar medicamentos indicados pelo seu médico.

Quando se trata de saúde mental, não há vergonha em procurar ajuda profissional. Na verdade, pode ser uma das melhores decisões que você pode tomar para o seu bem-estar. Se você está lutando contra um problema de saúde mental, como com a crise de pânico, psicanálise ou psicoterapia podem ser uma boa opção para você. Esses tratamentos podem ajudá-lo a se entender e gerenciar melhor os seus sentimentos.

Podemos reconhecer a psicanálise como um tratamento eficaz para uma variedade de problemas de saúde mental. Pessoas com transtorno do pânico, por exemplo, muitas vezes acham que a psicanálise as ajuda a entender e lidar melhor com seus sintomas. Pode também ser útil para pessoas que estão lutando com outros problemas de saúde mental, como depressão ou dependência emocional. Ela fornece um ambiente seguro e de apoio para explorar as causas básicas desses problemas. Muitas pessoas acham que a psicanálise as ajuda a desenvolver uma autoimagem mais positiva e melhorar seu relacionamento com os outros. Isso pode levar a uma melhor sensação de bem-estar geral.


2. Conheça os sintomas da síndrome do pânico

Quando você tem um ataque de pânico, parece que algo está realmente errado. Você pode sentir que está morrendo ou enlouquecendo. Todos os seus piores medos podem vir à tona e parece que você não consegue controlar o que está acontecendo. Um passo inicial para lidar com a síndrome de pânico é entender os sintomas físicos e/ou sintomas psicológicos que estão relacionados ao seu ataque de pânico, assim você pode começar a controlá-los melhor.

Tente listar todos os sintomas que você experimenta durante um ataque de pânico e faça uma lista de coisas que podem causar esses sintomas. Outro ponto importante a ser lembrado é que um ataque de pânico é uma resposta psicofisiológica. Isso significa que é causado por fatores físicos e psicológicos. Quando você entende isso, fica mais fácil aliviar sua mente e facilitar o enfrentamento da situação quando ela acontece.

A situação em si não é perigosa. Pode parecer muito assustador, mas na verdade não é prejudicial do ponto de vista médico. No entanto, se você não administrar bem o ataque, isso pode levar a outros problemas, como palpitações cardíacas e fobia social.


3. Tomar medicamentos

É importante tomar medicamentos conforme prescrito por um médico, seja um psiquiatra ou clínico geral, para o transtorno do pânico. Em alguns casos, os medicamentos são o único tratamento que pode ajudar uma pessoa a controlar seus sintomas.

Os SSRIs são os medicamentos mais comumente prescritos para o tratamento do transtorno do pânico. Esses medicamentos funcionam aumentando os níveis de serotonina no cérebro.

No entanto, também é importante obter ajuda de um terapeuta. A psicanálise e a psicoterapia podem ajudar a entender e lidar com seu transtorno. Tomar medicamentos e fazer terapia pode ajudar a viver uma vida melhor e melhorar o seu bem-estar geral.


4. Evite atividades que induzam o pânico

Se você achar que evitar situações nas quais sente pânico é útil para controlar seu transtorno do pânico, faça o que puder para seguir esse plano. Isso pode significar evitar por um tempo ambientes de alto estresse, evitar mudanças repentinas na rotina ou evitar atividades que pioram sua ansiedade.

Além disso, uma coisa que você pode fazer para controlar um ataque de pânico é praticar algumas técnicas de relaxamento. Existem vários métodos que funcionam bem, mas o que funciona para uma pessoa pode não funcionar para outra. O importante é que você encontre algo que funcione para você e que lhe permita relaxar a mente e o corpo.

Um dos métodos mais populares é a meditação. Isso envolve focar na respiração e relaxar o corpo até adormecer. Também existem aplicativos disponíveis que podem ajudar nesse processo.


5. Fique calmo e positivo

Uma das coisas mais importantes que você pode fazer para controlar o transtorno do pânico é manter a calma e a positividade. Isso significa evitar o autojulgamento e o pensamento negativo e focar em mecanismos de enfrentamento positivos.

Um dos maiores desafios ao lidar com ataques de pânico é se comunicar com outras pessoas sobre eles. Pode ser difícil falar sobre o que está acontecendo, mas pode ajudá-lo a gerenciar o ataque. Falar sobre seus sintomas ajudará a identificar quaisquer padrões ou tendências que possam contribuir para os ataques. Também ajuda a criar sistemas de suporte ao seu redor, o que pode ser extremamente útil quando ocorre um ataque de pânico.

Conclusão

O transtorno do pânico é um transtorno mental grave que precisa ser levado a sério. Lidar com o transtorno do pânico pode ser difícil, mas seguir essas dicas pode ajudá-lo a controlar seus sintomas e a se sentir melhor no geral. Se você acha que pode ter um transtorno do pânico, procure ajuda profissional. Um terapeuta pode fornecer orientação e apoio valiosos enquanto você tenta controlar melhor os sintomas do transtorno do pânico. Há esperança e existem tratamentos que podem ajudar a lidar com o transtorno do pânico. Obrigado pela leitura. Esperamos que essas dicas tenham sido úteis.

Referências

American Psychiatric Association. (2014). DSM-5: Manual diagnóstico e estatístico de transtornos mentais. Artmed Editora.


Barnhill, J. (2020). Agorafobia - Transtornos psiquiátricos - Manuais MSD edição para profissionais. Manuais MSD edição para profissionais. Retrieved 10 August 2022, from https://www.msdmanuals.com/pt/profissional/transtornos-psiqui%C3%A1tricos/ansiedade-e-transtornos-relacionados-a-estressores/agorafobia.


Barnhill, J. (2020). Ataques e transtorno de pânico - Transtornos psiquiátricos - Manuais MSD edição para profissionais. Manuais MSD edição para profissionais. Retrieved 10 August 2022, from https://www.msdmanuals.com/pt-br/profissional/transtornos-psiqui%C3%A1tricos/ansiedade-e-transtornos-relacionados-a-estressores/ataques-e-transtorno-de-p%C3%A2nico.


0 comentário

Comments


Commenting has been turned off.
bottom of page